Sistema B: qual a relação da certificação com as práticas ESG? 

 

Leia em 4 min
Sistema B

Você já ouviu falar do Movimento B? Sabe o que significa? A iniciativa foi criada pela organização B Lab em 2006, nos Estados Unidos, com o objetivo de redefinir o conceito de sucesso na economia.

A ideia era olhar para os negócios não apenas de uma perspectiva financeira, mas também a partir da geração de benefícios para a sociedade e para o planeta.

Desde então, o Movimento B não para de crescer e hoje é uma comunidade global que une líderes e negócios (de pequeno porte até multinacionais) em um objetivo comum: o de construir um sistema econômico equitativo, inclusivo e regenerativo. 

O Relatório de Desempenho de 2021 do Sistema B mostra que cerca de 4,5 mil organizações já fazem parte da rede, em 77 países. No Brasil, a iniciativa comemora oito anos.

Banco de Imagens Adobe Stock

Como funciona o Sistema B?

A certificação não é apenas uma avaliação para empresas. Com um processo seletivo detalhado, a análise reconhece pontos positivos e destaca outros de melhoria, o que facilita até mesmo o desenvolvimento de soluções de negócios.

Para a qualificação, utilizam a ferramenta de Avaliação de Impacto B (BIA), que analisa a performance das empresas de acordo com cinco pilares indispensáveis: Meio Ambiente, Trabalhadores, Comunidade, Clientes e Governança. Além disso, são avaliados quatro principais aspectos:

  • Propósito: as empresas que buscam o reconhecimento devem se comprometer com o impacto positivo no mundo, seja para a sociedade ou meio ambiente;
  • Foco nas Cláusulas B: para fazer parte da seleta lista do Movimento, é mandatório que o foco do negócio vá além do desempenho financeiro e tenha uma missão socioambiental que seja colocada em prática;
  • Evolução: a empresa deve se comprometer com o progresso, aprimorando a sua gestão e mensurando o impacto que deixa no meio ambiente;
  • Interdependência: compreender que a organização faz parte de uma comunidade. Logo, a colaboração é essencial.

Imagem retirada do Instagram do Sistema B Brasil

É importante lembrar que os clientes e fornecedores também são parte da avaliação. Afinal, o que acontece no meio do caminho, com esses atores, faz parte do impacto da organização. Este ponto está diretamente ligado ao resultado como um todo e, por isso, integra a análise do Sistema B.

Impacto social e ambiental

Gerar a valorização dos profissionais de reciclagem é uma iniciativa importante quando pensamos em resultados para o meio ambiente e para a sociedade. A eureciclo, líder em logística reversa de embalagens, por exemplo, é certificada pelo Sistema B há cinco anos.

Isso acontece, principalmente, porque a reciclagem é uma jornada coletiva. Por isso, a PNRS, ou Política Nacional de Resíduo Sólidos (legislação brasileira desse tema), define a responsabilidade compartilhada pelo destino dos resíduos.

Além disso, a atividade une dois pilares sustentáveis, ambiental e social. Não há reciclagem sem os profissionais envolvidos diretamente na logística reversa, como as cooperativas e operadores de todo o país.

O sucesso vai além do lucro. É preciso gerar benefícios, levar vantagens para a comunidade e, falando de sustentabilidade, para o mundo como um todo. Pilares conectados ao ESG e à economia circular.

Divulgação eureciclo

Como funciona a recertificação?

Depois que a certificação é conquistada, há ainda um processo para manter a chancela. Para isso, a empresa deve atualizar a Avaliação de Impacto B (BIA) a cada três anos, com documentos que comprovem os resultados avaliados pela auditoria.

Esse rigor torna o processo ainda mais confiável, porque garante, por exemplo, que as empresas não apresentem seus resultados uma única vez, mas com alguma frequência, tornando-o mais atual possível. 

É também uma forma de levar as organizações a prestar atenção em pontos que ainda podem evoluir dentro da avaliação.  

Reconhecimentos como o do Sistema B ajudam as empresas com a definição de novas metas que impactem de forma positiva na sociedade. Afinal, existem diversas formas de fomentar o desenvolvimento sustentável. E a melhor gestão dos resíduos sólidos é uma delas!

Novos prêmios

Graças a esses resultados, a eureciclo também recebeu o Prêmio ECO 2022, demonstrando a responsabilidade e a eficácia do selo. A 5ª certificação B leva todos esses pontos em consideração. 

Além disso, a empresa recebeu ainda do Sistema B, o prêmio Best for the World™ 2022, pela contribuição para o bem-estar econômico e social das comunidades.

Reconhecimentos como o do Sistema B ajudam as empresas com a definição de novas metas que impactem de forma positiva na sociedade. 

Afinal, existem diversas formas de fomentar o desenvolvimento sustentável e a melhor gestão dos resíduos sólidos com o incentivo à reciclagem é uma delas!

Leia aqui: eureciclo recebe o Prêmio ECO®: foco em todos os elos da cadeia de reciclagem.

Compartilhe!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.